Nevoeiro, neblina e cerração

Entenda e explique aos alunos e filhos a diferença entre nevoeiro, neblina e cerração; acompanhe em tempo real presença de nevoeiros no Brasil

Por Andressa Alves

Publicado em 09/10/2017

A atmosfera terrestre é, como definido por cientistas, um sistema caótico. Qualquer previsão tempo pode perder sua validade rapidamente. Para conhecer e mesmo prever as condições tempo atmosférico, é importante considerar diferentes variáveis, como chuvas repentinas, mudanças nas condições do vento, formação de tempestades e de nevoeiros. E esses fatores são precisos. Porém, quanto mais conhecermos o comportamento do tempo e de suas variáveis, mais fácil será nossa compreensão sobre os fenômenos atmosféricos e suas interferências nosso dia a dia.

Quem já ouviu alguém falar que o vôo atrasou porque o aeroporto estava fechado por conta nevoeiro? E ainda, que a viagem de carro demorou, pois havia muita cerração na estrada? nevoeiros fazem parte das condições do tempo atmosférico que variam no decorrer de um mesmo durante as diferentes estações do ano. Eles podem se formar em muitos lugares e momentos distintos. Especialmente nas manhãs da estação do inverno e no Sul e Sudeste eles são muito freqüentes. Porém, com a presença do Sol, no decorrer do dia, os nevoeiros dissipam. Vamos aprender um pouco mais sobre isso?

O nevoeiro é uma espécie de nuvem, ou seja, é formado por partículas de água muito pequenas ou mesmo cristais de gelo suspensas no ar que têm volume concentração suficientes para serem visíveis. Podemos até mesmo atravessá-lo, pois o nevoeiro normalmente se encontra numa camada de ar muito próxima superfície da terra.

 

Os nevoeiros se diferenciam das nuvens pela maneira e pelo lugar onde se formam. Há diferentes tipos de nevoeiros. Um exemplo é o nevoeiro de radiação, que geralmente ocorre em noites de céu limpo, quando a superfície se resfria e a camada de ar acima dessa superfície também é resfriada, criando condições de saturação. Desse modo, o ar se condensa e resulta em uma nuvem próxima ao solo. Esse tipo de nevoeiro não é o mesmo que ocorre sobre a água, pois a água resfria-se mais lentamente que o solo durante a noite.

O nevoeiro que ocorre sobre a água é chamado de nevoeiro de evaporação. Quando a água (no mar, nos rios, ou até mesmo em piscinas externas aquecidas) se encontra mais quente que o ar, evapora, se condensa e, ao entrar em contato com o ar mais frio da superfície, forma um nevoeiro.

Outros tipos de nevoeiro são os chamados frontais, aqueles formados por advecção, e os nevoeiros
orográficos.

A diminuição da visibilidade é a principal interferência dos nevoeiros no dia a dia das pessoas. Veja, no esquema abaixo, como isso ocorre e as principais denominações utilizadas nesses casos

 

Outros termos que você pode encontrar:

Nevoeiros no Brasil


É possível acompanhar a presença de nevoeiros no Brasil em tempo real no site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais – Divisão de Satélites e Sistemas Ambientais – Nevoeiros.

 

No mapa, é possível identificar os horários dos nevoeiros, escolher uma data anterior à do acesso ou um satélite específico para consulta ou pesquisa, visualizar mapa por regiões brasileiras, e ainda ver uma animação a respeito das informações dos nevoeiros. Este recurso é muito interessante para ser utilizado em aula e enriquecer o conteúdo dos estudos em Geografia e Ciências.

Mais sobre o tema

Você poderá encontrar mais referências sobre o tema em: Atlas visuais da Ciência: Clima. Editorial Sol 90, 2007.

CHRISTOPHERSON, Robert W. Geossistemas. Uma introdução à geografia física. Porto Alegre, Bookman, 2012.

Departamento de Física – Universidade Federal do Paraná. Disponível em: http://fisica.ufpr.br/grimm/aposmeteo/cap6/cap6-1-2.html

Enciclopédia do Estudante: Ciências da Terra e do Universo – 03. São paulo, Moderna, 2003.

Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - CPTEC. Disponível em: http://www.cptec.inpe.br/curiosidades/pt

MENDONÇA, Francisco; DANNI-OLIVEIRA, Inês Moresco. Climatologia: Noções básicas e climas do Brasil. São Paulo, Oficina de Textos, 2007.

Portal do Professor – Ministério da Educação do Brasil – Espaço da aula. Inverno: como esta estação influencia nossa vida. Disponível em: http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html?pagina=espaco%2Fvisualizar_aula&aula=55661&secao=espaco&request_locale=es

TORRES, Fillipe Tamiozzo Pereira; MACHADO, Pedro José de Oliveira. Introdução à climatologia. São Paulo: Cengage Learning, 2012.

ZAVATTINI, João Afonso; BOIN, Marcos Norberto. Climatologia geográfica. Teoria e prática de pesquisa. Campinas, Alínea, 2013.

 

 

Voltar
>