O mapa das Capitanias Hereditárias

Publicado em 04/04/2019

Nicolas Fer (1646 – 1720) foi um dos geógrafos mais conhecidos na França no século XVII. Era filho de um cartógrafo e vendedor de mapas, Antoine de Fer, e aos 12 anos de idade foi aprendiz de Louis Spirinx, um famoso pintor belga.

Com o sucesso de seus mapas, De Fer se tornou geógrafo oficial de Filipe V e Luis XIV, os reis da Espanha e da França, respectivamente. Por este fato, seus mapas se tornaram propaganda da família Bourbon, o rei francês Luix XIV. Nicolas de Fer produziu mais de 600 mapas entre eles planos urbanos, atlas e mapas de parede.

O mapa “Le Bresil Dont Les Côtes Sont Divisées En Capitaineries” foi feito em gravura em metal e aquarela no ano de 1719. No mapa é possível perceber que, nesta época, o conhecimento do interior do país ainda era limitado em relação aos detalhes e informações que se tinha do litoral. As áreas mais detalhadas do mapa são a costa leste brasileira, representada por suas 15 capitanias hereditárias - forma de administração territorial do império colonial português.

As capitanias hereditárias eram divisões administrativas por faixas de terra delimitadas a partir do litoral até o interior, comandadas pelos Donatários das Capitanias. Os donatários eram nobres de Portugal que administravam essas faixas de terras no Brasil. Essas faixas eram transmitidas aos descendentes dos donatários, e elas faziam parte de um projeto estratégico de manutenção e defesa das grandes extensões colônias de Portugal no “Novo Mundo” frente aos interesses de outras.

O mapa pode ser utilizado em sala de aula para ajudar seus alunos a compreenderem a formação do território brasileiro. Ele pode ajudar a representar a forma de administração do território colonial português feita através de capitanias hereditárias.