As dez principais etapas da evolução do PNLD em 80 anos

Compreenda o histórico do Programa Nacional do Livro e do Material Didático

Por Carlos Dias

Fonte: https://www.revistaeducacao.com.br

Publicado em 26/08/2019

Educação traçou as principais etapas do Programa Nacional do Livro e do Material Didático, PNLD, para que se compreenda seus avanços e importância para o setor. Contudo, para saber mais sobre o que é o programa leia a matéria: PNLD: a eficácia ao distribuir 150 milhões de livros e materiais didáticos.

 

1938

O embrião do programa foi a criação, pelo Ministério da Educação, da Comissão Nacional do Livro Didático (CNLD). Um decreto estabeleceu condições para a produção, importação e utilização do livro didático. Só em 1966, no entanto, a política de distribuição gratuita de livros didáticos começou com alguma consistência, com recursos para a entrega de 51 milhões de livros em três anos.

1983

Com nomes diferentes, administrados por órgãos diversos e com financiamento de fontes distintas, a iniciativa de oferecer material didático aos estudantes brasileiros patinou durante vários anos. Houve, então, um avanço considerável. Entre as principais mudanças nesse ano estavam a participação dos professores na escolha do livro didático, o surgimento de novas fontes de recursos e a ampliação de séries atendidas.

1985

O Programa do Livro Didático para o Ensino Fundamental (PLIDEF) deixa de existir por decreto e é criado o PNLD, que traz com ele importantes avanços, como: a) a indicação da obra didática pelos professores; b) a reutilização do livro e; c) o aperfeiçoamento das especificações técnicas, aumentando a durabilidade do material e; d) o fim da participação financeira dos estados, passando o controle do processo para um órgão federal.

Clique aqui para ler a matéria completa

Voltar
>