Chimichurri, Choripán e Locro – A geografia da culinária típica da Argentina

Conheça um pouco da geografia de alguns pratos da Argentina! Choripan, Locro e Chimichurri são pratos que fazem parte do cardápio cotidiano dos argentinos! Quem sabe você não se anima a prepara-los em casa para experimentar essas delícias!

Publicado em 04/05/2018

Choripan - “O ícone nacional”

O choripan (acrônimo de chorizo – como é chamada a linguiça nas regiões de língua espanhola -  com pan, de pão), às vezes abreviado como “chori”, é uma comida prática que consiste basicamente em uma linguiça assada entre dois pedaços de pão (normalmente pão francês).  Esse prato é muito comum na Argentina, Uruguai e Chile. Na Argentina, é comido nas partidas de futebol, nos churrascos familiares e é até encontrado em restaurantes e bares, mas os lugares de consumo popular são os carrinhos de lanches espalhados pelas ruas.

A linguiça usada na Argentina é chamada de “chorizo criollo”, típica da área rio-platense e que tem como diferença – em relação a outras regiões – o uso da linguiça sem secar ou defumar, sendo usada quase fresca. Geralmente é temperada com algum molho, como o chimichurri (de que vamos falar mais adiante).

A origem geográfica e histórica do choripan remonta a meados do século XIX, quando nas áreas rurais os chamados gaúchos costumavam assar linguiça para comemorar alguma celebração.  Disso surgiu o hábito de come-la dentro de um pão, tendo esta prática chegado às cidades, se popularizando no ambiente urbano, como se vê nos dias de hoje.

O misterioso Chimichurri

Este molho picante, muito parecido com o nosso vinagrete, é geralmente utilizado para temperar carnes assadas e peixes. É feito à base de coentro, alho, cebola, tomilho, orégano, pimenta vermelha moída, pimentão, louro, pimenta preta, mostarda em pó, salsão, vinagre e azeite de oliva, porém existem variantes regionais nos ingredientes utilizados para sua elaboração. O molho veio com a grande onda de imigração europeia e tornou-se popular desde a segunda metade do século XIX, adaptando-se aos ingredientes locais.

O mais interessante é que existe um mistério em torno do emblemático molho da culinária argentina: a origem do seu nome. É provável que o termo chimichurri tenha sido inventado na América do Sul, entre  Argentina, Chile, Paraguai e Uruguai.

Outra teoria relativa à etimologia do chimichurri faz menção aos britânicos que foram feitos prisioneiros depois das invasões às colônias espanholas no Rio da Plata, no início do século XIX. Segundo essa teoria, os britânicos pediam o molho para suas comidas usando uma frase confusa e misturada de vocábulos locais, espanhóis e ingleses falando “che-mi-curry” por “che-mi-salsa”, ou, “give me the curry” por “dame salsa”. O curry é uma palavra proveniente da Índia, utilizada pelos britânicos desde o século XVIII, quando a maior parte daquele território foi transformada em colônia inglesa e a palavra curry se difundiu no idioma britânico. Curry é simplesmente um tempero à base de cúrcuma a que se juntam diferentes folhas, sementes, rizomas e raízes formando uma pasta picante. No Ocidente é mais comum encontrá-la em pó.

Há outra teoria que fala de um imigrante irlandês chamado James McCurry que estava interessado em importar carne da Argentina para o Reino Unido. Um vez, quando McCurry foi a uma fazenda lhe prepararam um churrasco. O inglês ficou impressionado com o aroma da grelha e do lugar. Consultou o homem que estava fazendo a carne, perguntando com que ela era acompanhada, e ele lhe disse que com nada, era simplesmente salgado. O Sr. Curry como uma forma de agradecer a comida que estava sendo preparada, pediu alguns ingredientes (chili, pimentão, tomate, cebola e alho), algumas especiarias (como orégano e  alecrim) e alguns condimentos (pimentão) e, em água fervida, preparou um tempero para aromatizar e perfumar essa requintada carne assada. Segundo a história, ele preparou o que conhecemos hoje como o chimichurri.

Uma terceira teoria afirma que provavelmente, a origem do termo chimichurri não tem a ver com um evento específico, mas talvez derive de termos indígenas e espanhóis antigos, perdidos ao longo dos anos. Um fato interessante é que na República Dominicana há uma receita chamada “chimichurris”, que se assemelha a um hambúrguer com temperos parecidos com o chimichurri, o que reforça essa corrente.

Locro – “A feijoada argentina”

O locro é um ensopado de origem pré-hispânica e mesmo pré-incaica, e é típica de vários povos andinos que basearam grande parte de sua dieta em milho, feijão e batata. O ensopado é feito com abóbora, feijão, milho e batatas, sendo consumido em países que estão na zona da cordilheira dos Andes, desde a Argentina até o norte do Chile, e se estende ao sudoeste da Colômbia, passando pela Bolívia, Equador, Paraguai e Peru.

Na Argentina, seu consumo é generalizado. Embora o locro argentino tenha origens indo-americanas, sua preparação também sintetiza as contribuições gastronômicas europeias durante pelo menos três séculos, pela presença de carne de porco, chorizo, mondongo e aliños na receita.

Voltar
>