A torta de legumes da Segunda Guerra Mundial

O período de guerra gerou uma campanha pelo aproveitamento dos alimentos disponíveis, e uma deliciosa receita torta de legumes

Por Fábio Martins

Publicado em 06/11/2017

 

Apesar de delicioso e leve, o prato sobre o qual vamos falar a seguir tem um sabor amargo na memória dos ingleses. Era 1939. A Europa caiu no front de batalha, pela segunda vez. A produção de alimentos britânicos é desviada para alimentar as tropas. Surge o Ministério da Alimentação, com a responsabilidade do racionamento de forma justa a todos os cidadãos, onde cada pessoa tinha direito a 50 gramas de manteiga, 100 gramas de carne e bacon e 50 gramas de queijo, entre açúcar, chá e leite, também racionados.
Aproveitando a abundância de legumes no Reino Unido, qualquer espaço com terra era usado para o seu cultivo. Parques, quadras de tênis, praças e até mesmo fossa da Torre de Londres viraram hortas em benefício da sociedade.
O ministro da Alimentação, Frederick James Marquis, primeiro conde de Woolton, valeu-se de uma campanha de propaganda de guerra para incentivar o consumo dos legumes, com destaque para a batata e a cenoura, que se tornaram mascotes da campanha: o Pete Potato e Doc. Carrot.
Doces tornaram-se iguarias raras. Woolton conseguiu um certo sucesso pregando às crianças a ingestão de cenouras, para substituir as guloseimas.
Surgiu o slogan "Cavar a Vitória", com direito a músicas pop tocando no rádio e cinema: "E quando suas costas doem, ria com alegria e continue cavando ate possamos dar uma descompostura no inimigo. Cave! Cave! Cave rumo a vitória".
Outro momento criativo foi a contratação de Francis Latry, chef do Hotel Savoy, para a criação de um prato com os ingredientes disponíveis. Surge então a receita, que descrevemos abaixo:

Torta Woolton

Ingredientes:

900 g de batata
450 g de cenoura
225 g de mandioquinha salsa
450 g de couve-flor
225 g de nabo
1 tablete de caldo de legumes
1 colher de sopa de aveia
1 punhado de salsa picada
3 ramos de tomilho
30 g de manteiga em temperatura ambiente
3 colheres de sopa de mostarda
4 cebolinhas picadas
50 g de queijo ralado


Modo de preparo:

Corte metade das batatas e todos os legumes em tamanhos iguais. Coloque tudo em uma panela grande e cubra com água. Adicione o tablete de caldo de e a aveia e cozinhe por cerca de 10 minutos (os legumes devem ficar macios).
Após esfriar, acomode os legumes em uma travessa. Jogue por cima a salsa picada e as folhas de tomilho, cobrindo toda a área. Cozinhe as batatas que sobraram depois as amasse, adicionando manteiga, mostarda e cebolinha. Espalhe sobre os legumes e polvilhe o queijo. Asse em fogo baixo até dourar, com o recheio
borbulhante.
Serve 4 pessoas.
Bom apetite!


Geonauta indica:

* Este assunto pode ser abordado com os 8º e 9º anos e Ensino Médio como leitura e trabalho com imagens nos conteúdos sobre organização do espaço geográfico mundial; Segunda Guerra Mundial; o cenário geopolítico: do bipolar ao multipolar; e Inglaterra: história e potência atual.
* Esta receita e outras histórias da culinária você encontra no livro “Quem colocou o filé no Wellington?”, de James Winter (Editora Melhoramentos, 2013). Veja fotos da campanha de racionamento de alimentos na Segunda Guerra Mundial (clique nas imagens para ampliar):

Voltar
>